Como começar o ano sem dívidas


Quem não quer começar o ano sem dívidas? O ano de 2015 foi muito difícil pra muita gente, então que tal dar uma lida nas dicas que Patricia Lages dá para alcançar a estabilidade em todas as áreas da vida em 180 dias. Não custa tentar né pessoal, e au achei espetacular. 
No livro Virada Financeira, Patricia Lages dá dicas para alcançar a estabilidade em todas as áreas da vida em 180 dias! 

A volta à realidade: contas a pagar. Além da fatura do cartão de crédito que está alta devido aos gastos com os presentes de Natal, tem IPVA e IPTU, matrícula da escola dos filhos e material escolar. Afffff...
Mas, calma, não precisa se desesperar! Com boa organização e planejamento, dá para passar o ano com o saldo positivo e, quem sabe, garantir ainda uma grana para viajar em algum dos mais de 13 feriados que o ano de 2016 reserva!
Quer começar 2016 com tudo? Então, é só seguir à risca algumas das dicas da especialista em finanças Patricia Lages:

  • 1. Análise - Como em tudo na vida, antes de agir temos que pensar, ou seja, não basta apenas lançar seus dados (receitas e despesas) na planilha, você precisa analisá-los. Primeiramente, veja se todos os gastos fixos que você tem são realmente necessários. Aluguel, mensalidade da faculdade e coisas do tipo não dá para fugir e vão continuar no seu orçamento, mas há coisas que você paga por costume e é isso que deve ser analisado. Por exemplo: talvez você esteja pagando TV a cabo, mas mal assiste à televisão.

  • 2. Redução e corte - Para começar, disponha-se a reduzir o valor de suas contas de consumo com atitudes conscientes, por exemplo: diminua a duração do banho, use sempre a capacidade máxima da máquina de lavar roupa (se sua máquina lava 8 quilos, não ligue-a com apenas 4), não durma com a TV ligada, verifique se há vazamentos no encanamento, cozinhe com as panelas tampadas para gastar menos gás, etc. Analise também sua conta de telefone e veja se o pacote que você paga tem sido utilizado da melhor forma. Pagar 200 minutos quando se usa 100 não tem sentido, mas também não vale a pena pagar 200 e usar 300, pois os minutos fora do pacote são mais caros.

  • 3. Redirecionamento - Uma vez que o dinheiro começou a surgir e sua conta está divando, é hora de não deixar a peteca cair. Muitas pessoas se enrolam ainda mais quando o dinheiro sobra, simplesmente por não saberem o que fazer com ele. Por isso, a etapa de redirecionar o dinheiro é extremamente importante. Se você tem dívidas, não há dúvida que todo dinheiro extra deve ser usado na quitação delas. Mas se não tem, já pense em um destino para suas economias: fazer um curso, trocar um móvel da casa, pintar seu quarto, enfim, não deixe o dinheiro dando bobeira.

  • 4. Balanço - Dados os três primeiros passos, não vacile achando que isso é tudo. É importantíssimo fazer um balanço de suas análises e decisões. Veja se dá para economizar um pouco mais ou se perdeu a mão e exagerou no corte de algumas coisas. Tenha o hábito de analisar periodicamente se o redirecionamento está sendo bem feito.

Sobre a autora: Patricia Lages é jornalista e atua na área de comunicação há 24 anos. No início da carreira, criava textos e planos de patrocínio para programas de TV. Mais tarde, entrou no ramo editorial, trabalhando no Brasil, na Argentina, na Inglaterra e em Israel. Em dezembro de 2014, Patricia foi convidada palestrar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, contando os segredos para um projeto de sucesso, baseada em seu best seller Bolsa Blindada. Atualmente, vive com seu marido, o fotógrafo Wel Calandria, em São Paulo, onde desenvolve projetos editoriais para clientes e agências de publicidade.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas