Ácido Glioxílico - Coletiva de Imprensa da Inoar - Parte I


Por
Reghiane Silva - Manager of website




Como todos nós brasileiros e o mundo sabe , a partir do princípio em que você tem um veículo absolutamente grandioso que atinge a população brasileira em quase sua totalidade, e veicula como VERDADE ABSOLUTA um ponto de vista com materiais e matérias elaborados por algumas pessoas que se dizem donos da verdade e não aceita ouvir a outra parte envolvida , acaba-se com a possibilidade de democracia no nosso amado país. Esse é o meu sentimento hoje , depois de uma matéria absolutamente TENDENCIOSA , como todos já, em sua maioria puderam constatar depois da REVELADORA Coletiva de Imprensa , em que a Empresa Inoar Professional nos elucida com análises feitas com IMPARCIALIDADE pelo Prof. Dr. Gerson L. V. Coelho do produto com Denominação Química de  ÁCIDO GLIOXÍLICO.

Análise da Decomposição do Ácido Glioxílico feita pela :  UFRRJ - Instituto de Tecnologia - Departamento de Engenharia Química - Laboratório de PROCESSOS DE SEPARAÇÃO - com coordenação do Professor Dr. Gerson L. V. Coelho.

Amostras fornecidas : Pela Cosmociência Especialidades Químicas Ltda. 

O composto químico aqui descrito como Acido Glioxilico foi analisado de diversas formas , incansavelmente para tentar detectar algum risco para o ser humano, e resultou em um estudo de 19 páginas , com gráficos de cada etapa que são :

Padrão do Formol
Análise de decomposição de ácido Glioxílico
Análise de Componentes
Análise de branco (Tfinal = 200°C)
Decomposição da solução diluída
Decomposição da solução concentrada
Diluição a 30% da solução de ácido Glioxílico  ( foi adicionado na placa aquecedora a aproximadamente 250 ºC ) 

Conclusão: Não foi possível quantificar o formol identificado durante a decomposição do ácido Glioxílico. Portanto não pode considerar quantitativamente a sua EXISTÊNCIA.
IMPORTANTE : O ácido glioxílico PODERÁ liberar o formol, mas para isso acontecer, outros fatores devem estar envolvidos como, por exemplo, "a temperatura da prancha e o estado de vácuo”, afirma o diretor executivo Fabio Rubino , que completa dizendo ser impossível o cosmético liberar formol, pois a prancha utilizada em alisamentos chega à 200ºC no máximo, e para essa liberação ser realizada, o aparelho deveria estar em 500ºC.

Esse é um resumo das partes mais significativas que achei importante trazer para vocês meus leitores. 

MINHA INDIGNAÇÃO

Sou à favor que a Rede Globo deva sempre colocar os dois lados de qualquer assunto e não tentar influenciar as pessoas com matérias que traduzam inverdades , e simplesmente o que ela quer que o povo acredite. Pois se não fosse tendenciosa a matéria , porque não quis atender as inúmeras solicitações de contato  com a Inoar , e não mostrou em sua reportagem tão CONTUNDENTE , dizendo NÃO USE , faz mal para a sua SAÚDE ,  E INVESTIU milhoes em seu produto denominado 






Não entendi ? E agora ? Como fica ? Se este produto foi aprovado pela ANVISA como Grau 1 , será que foram dadas informações incorretas para a ANVISA como foi citado na matéria veiculada em questão? 


Que o povo brasileiro faça seu julgamento, e, na sua consciência lúcida e honrada, separe os que são dignos e coerentes que mostram com transparência a verdade, com ética e responsabilidade. Jamais desrespeitando os principios da isensão jornalística e mais uma vez sem direcionar a opinião do telespectador ao que lhe é mais conveniente.


Essa é minha opinião, acredito na INOAR , acredito na imparcialidade da conclusão , acredito na credibilidade da Inoar , e sei que o SUCESSO , ÉTICA E COMPETÊNCIA incomodam muito !!!


Reghiane Silva
Manager of website



Comentários

Postagens mais visitadas