Dailus Color lança linha de esmaltes.




Amei as cores que recebi, um metálico chamado Save the Date, um cintilante lindo pink chamado Vale night, um marrom cremoso que amei chamado brownie e o ultra sec, vou testar pois a secagem é mais rápida ainda. 

Coleção chega ao mercado com 66 itens, entre os quais linha de tratamentos e cores inspiradas em festas, nas versões cintilante, metálico, cremoso e transparente.
Para comemorar seus dez anos em grande estilo, a Dailus Color lança uma coleção com 66 esmaltes inspirados nas principais tendências internacionais do mercado de moda e beleza, entre eles, seis são itens de tratamento e finalização. Cada uma das cores traz um nome que remete ao tema “festas”, como: bodas de algodão; despedida de solteiro; e doces (camafeu); ou qualquer outro item escolhido para uma data que deve ser celebrada de forma especial, como um scarpin, que complementa o look.




As embalagens de vidro trazem design exclusivo da marca, com tampa anatômica, e pincel flat big brush, com cerdas mais cheias, que oferecem uniformidade na aplicação e um resultado surpreendente. O tratamento ultrasec é um dos diferenciais da nova linha, já que possui secagem rápida, em até sete minutos.

  • Para complementar, uma linha de tratamentos com quatro bases tradicional, acetinada, strong (fortalecedora) e base fosca (pode ser aplicada por cima do esmalte para efeito opaco). Ainda compõem a linha um extrabrilho, óleo secante e ultrasec (item para secagem ainda mais rápida). 

 Dailus Color Esmaltes – 8 ml Preço sugerido: R$ 5,00 
 SAC - Dailus Color (11) 2227-3333 | sac@dailus.com.br













Marcio Atalla afirma que brasileiro deixou de se movimentar.



“É possível que tenhamos a primeira geração que viverá menos que seus pais” 

É alarmante, mas a pura realidade, tenho esse exemplo em casa, por mim em primeiro lugar que ando bem menos que minha vó e minha mãe, e meu filho que anda menos que eu! Foi um choque essa matéria, e espero que meus leitores repensem assim como estou fazendo neste momento...  Bora ler a matéria na íntegra: 

O brasileiro mudou seu estilo de vida nas últimas décadas e isso pode trazer impactos para a saúde e o bem-estar da população. Isso é o que afirmou o educador físico Márcio Atalla, na I Conferência Aché e Geriatria Juntos Pela Longevidade, que ocorreu em 25 e 26 de novembro, em Campinas (SP), com chancela da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG). “É possível que tenhamos a primeira geração que viverá menos que seus pais”, alerta Atalla.
Segundo o especialista, o estilo de vida é determinado pelo que uma pessoa faz na maior parte dos dias – e a conclusão é que o brasileiro está cada vez mais sedentário.
 “Em 1989, as pessoas andavam cerca de dez mil passos diariamente e tinham uma alimentação 70% in natura. Atualmente, elas caminham muito menos e têm 70% da alimentação baseada em produtos industrializados. O brasileiro deixou de gastar 350 calorias por dia, isso é cerca de uma hora na esteira da academia”, explica o especialista.No fim da década de 1980, cerca de 13% das pessoas tinham sobrepeso no País. Hoje, são mais de 50%. Segundo estudo recente publicado pela revista médica The Lancet, o custo do sedentarismo é de US$ 68 bilhões, o que traz discussões de governos e empresas para amenizar os gastos.De acordo com Atalla, investir em atividades físicas ajuda a combater a maioria dos males modernos, como doenças cardíacas, hipertensão, diabetes, câncer e depressão, por contribuir para reduzir o sobrepeso e agir de forma anti-inflamatória no corpo humano. “Porém é preciso começar com uma pequena dose e aumentar gradativamente”, afirma.
Segundo o especialista, além de fazer exercícios planejados, é importante realizar atividades não programadas. Exemplos de políticas de sucesso são Copenhagen e Amsterdam, que foram planejadas para a mobilidade e hoje possuem mais bicicletas do que carros, contribuindo para a qualidade de vida da população, que se movimenta mais no cotidiano.

“É preciso mexer no meio ambiente para que as pessoas possam se movimentar mais. O melhor movimento é aquele conseguimos incorporar no dia a dia, como trabalhar mais tempo em pé, acumular passos (dez mil por dia), subir escadas e andar de bicicleta em trajetos diários”.Para o especialista, a preocupação com a longevidade deve começar já na infância. “Hoje, uma criança passa cerca de cinco horas na frente de uma tela e não tem mais tempo e estímulo para se movimentar. Se não cuidarmos de nossas crianças, teremos muitos problemas no futuro. Atividade física é positiva para a cognição, pois aumenta a produção de novos neurônios e ajuda para uma maior oxigenação do sangue, contribuindo para o aprendizado e atividades do dia a dia”, afirmou Atalla.

fonte: CDI Comunicação Corporativa







 


Voltar ao Topo da Página